COMIDA JAPONESA: MITOS E VERDADES

COMIDA JAPONESA: MITOS E VERDADES

Já não é de hoje que a culinária japonesa virou a cabeça dos brasileiros. Os restaurantes especializados nesta iguaria viraram moda e a verdade é que eles agradam pessoas de todas as idades. Quase todos acreditando que, por incluir alimentos naturais como peixes, frutas legumes e algas marinhas, terão uma alimentação mais saudável e, por isso, estarão com o corpo sempre em forma.  É, mas essa pode não ser uma verdade absoluta. Conheça alguns mitos e verdades sobre o consumo dessas delícias.

– Comida japonesa não engorda
Mentira. Não é porque a comida é natural e contém grande quantidade de peixes que ela não vai ter calorias. Alguns pratos têm até menos calorias que os outros, mas se consumidos em excesso é óbvio que contribuem para o aumento de peso.

– Sinto-me satisfeito sem ficar “empanzinado”
Verdade.  Isso acontece porque os alimentos são ricos em nutrientes que aumentam a saciedade.  As algas são as principais “culpadas” por essa sensação, porque, no estômago, elas aumentam de tamanho.

– Comendo “japa” não preciso me preocupar com a saúde?
Mentira.  Não é bem assim que a banda toca. Os molhos à base de soja, iguaria bastante apreciada pelos amantes dessa culinária, contém altas quantidades de sódio e podem, por exemplo, contribuir para o aumento da pressão sanguínea, ácido úrico e retenção de líquido.

– Comida japonesa previne o envelhecimento
Verdade. Graças ao Ômega 3, gordura “do bem” encontrada nos peixes utilizados no preparo das refeições, como o salmão e o atum, quem consome a comida japonesa de maneira equilibrada, consegue prevenir o envelhecimento precoce e ainda estimula a saúde do cérebro.

– Os benefícios desses alimentos só são sentido pelas mulheres
Mentira. É óbvio que os benefícios trazidos pelo consumo da comida japonesa também será sentido pelos homens. Mas não deixa de ser verdade que as isoflavonas contidas nos alimentos feitos à base de extrato de soja, como o tofu e o missoshiro, são especialmente importantes para as mulheres, já que a substância tem ação similar ao hormônio estradiol, que regula uma série de funções hormonais femininas. Para ter a certeza de que está unindo o prazer em comer e o cuidado com a saúde é preciso harmonizar os ingredientes.

Veja os benefícios dos alimentos mais consumidos da culinária japonesa:

Broto de feijão: ele é rico em fibras e vitamina C, mas para melhor aproveitar esses benefícios o ideal é que se coma cru, em saladas.

Nabo: também pelo fato de ser rico em fibras ajuda na digestão

Arroz branco: quando cozido sem sal e sem gordura e consumido com moderação, é fonte de carboidratos e aminoácidos essenciais.

Gengibre e raiz forte: são antibactericidas e também auxiliam na digestão.

Shitake (cogumelo): estimula a defesa imunológica

Sashimi (peixes): é excelente fonte de proteína, principalmente, ômega 3, e contribui para diminuição do colesterol no sangue.

Salmão melhora o humor e combate a flacidez

Salmão melhora o humor e combate a flacidez

Escolher alimentos nutritivos e saudáveis na hora de montar a sua refeição, seja no almoço ou mesmo no jantar, é essencial para garantir a sua saúde e boa forma. Muito se fala sobre o salmão como fonte de proteína, aliado na hora de manter o peso e em relação ao consumo dos nutrientes necessários para o corpo. Além do baixo teor de gordura, ele é rico em Ômega 3, substância que promete a melhoria da memória, concentração, stress, pele, entre outros benefícios.

Abaixo, especialistas da marca Salmón de Chile desvendam alguns dos mitos e verdades sobre o consumo de salmão.

Gordura do salmão não é saudável

“Mito. O salmão possui o tipo de gordura poli-insaturada, presente no ácido graxo Ômega 3. Além disso, a gordura não tem valor calórico alto, já que um bife de salmão grelhado possui apenas cerca de 170 kcal”.

Salmão combate a flacidez

“Verdade. O consumo de salmão estimula a criação de colágeno no corpo, além de diminuir o colesterol ruim do organismo, que provoca entupimento de artérias, retenção de líquidos, acúmulo de gordura e flacidez”.

O salmão aumenta o bom humor

“Verdade. Comer salmão estimula a produção de serotonina no sistema nervoso. O aumento ocorre devido ao Ômega 3, que ativa os receptores dos neurotransmissores, responsáveis pelas mensagens de humor no cérebro”.

Comer salmão rejuvenesce

“Verdade. O salmão possui selênio, que tem função similar à vitamina E, ou seja, é um antioxidante que impede a formação de radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce”.

Grávidas não podem comer salmão defumado

“Mito. O salmão é ideal para as futuras mamães, pois o peixe ajuda no desenvolvimento do sistema nervoso central dos bebês”.

Salmão ajuda nos estudos

“Verdade. O Ômega 3, presente no salmão, é essencial para o desenvolvimento do cérebro, aumentando o número de glóbulos vermelhos do sangue, o que influencia nos níveis de atenção das crianças e ajuda na memória. Quanto mais regular for o consumo, mais a mente fica afiada e os estudantes se saem melhor em testes”.

Salmão é um aliado da fertilidade

“Verdade. Comer salmão diminui a probabilidade do aparecimento de endometriose, doença que causa fortes dores no útero e infertilidade“.

Comida japonesa faz parte do cardápio infantil.

Comida japonesa faz parte do cardápio infantil.

Cada dia mais a culinária japonesa faz parte do cardápio das famílias brasileiras. O que é ótimo, pois a comida japonesa está recheada de alimentos saudáveis.

Os peixes, como salmão e atum, são fonte de ômega 3, ácido graxo não fabricado pelo nosso organismo e que exerce papel fundamental na saúde do coração. As algas (nori), utilizadas para preparar o temaki, são ricas em proteínas, fibras, vitaminas A, C e do complexo B. O gengibre possui atividades antioxidantes e antinflamatórias. A soja, entre outros benefícios, contribui pra prevenção de doenças cardiovasculares.

Apesar de possuir vários alimentos saudáveis e variados, a culinária japonesa também é composta por algumas frituras, tempurás, por exemplo. Por isso, devemos conhecer as preparações e atentar para a quantidade consumida para compor uma alimentação equilibrada e saudável e continuar aproveitando os benefícios dessa culinária.

Os peixes crus são parte importante dessa culinária e, geralmente, fazem parte dos pratos preferidos. É necessário tomar alguns cuidados ao optar pelo peixe cru: verifique se o estabelecimento possui certificado sanitário, que garante a procedência do peixe, certifique-se da higiene da cozinha e dos funcionários.

Os sushis fazem muito sucesso, e podem ser oferecidos sem medo às crianças pequenas, desde não tenham peixe cru (pode ser os de pepino, kani e frutas).

“Já o sashimi, por ser feito com peixe cru, não deve ser oferecido a crianças menores de 2 ou 3 anos, pois ainda pode desencadear uma toxinfecção alimentar se não estiver em perfeitas condições de consumo.”

Outras deliciosas opções para crianças ficam por conta do Tepan Yaki, uma mistura de legumes com carne, frango ou peixe, servidos na grelha com shoyo, e acompanhado de arroz. Esta é uma refeição completa, já que fornece os três grupos alimentares: energéticos (arroz), construtores (carne) e reguladores (legumes). O Yakissoba, uma mistura de macarrão com shoyo e legumes também é uma ótima opção e que agrada muito o paladar infantil.